Companhias para um capuccino

sábado, 27 de março de 2010

Papo qualquer coisa.

- Tudo acabou.

Foi o que ela me disse, poucos minutos atrás, num interurbano. Disse em pausas curtas, como que se imaginasse as consequências por cada sílaba. Eu ouvi todas. Só ouvi. Achei até que ela não acabaria, - seria eu presunçoso demais para o término? - mas ela ousou mais que o de costume. E desligou tão depressa, que pude acabar o cigarro aceso e beber o café ainda quente. Mas não agradeço a ela por isso, porque a cafeteira nova é muito boa.

Eu até pensei que o telefone voltaria a tocar, mas não aconteceu. É que nós assistimos a uma comédia romântica, na semana passada e... É engraçada essa confusão pronominal. A partir de agora, eu terei de usar "nós" só para conjugar pretéritos. Ela também. E, por (in)consequência, nós usaremos "eu" para todo presente e futuro que sobra, por enquanto.

(...)

A pergunta que fica é: até quando?

14 comentários:

Fábio disse...

Salve, salve grande Lina estou passeando aqui entre seus versos e gostaria de convidá-lo a conhecer meu trabalho no blog Ecos através do endereço www.ecosdotelecoteco.blogspot.com . Muito sucesso aeeeee!!! Abraço

Celo Aglio disse...

Pronomes geralmente brigam entre si no campo da afetividade.

Relacionamentos são atemporais, ou seja, não recebem desinência, apenas transitam em algum setor neutro das conjugações.

Tanto porque, há a chance de tudo voltar a ser como era, ou não.

Gostei demais =)

R. Avancini disse...

muito bom. mesmo.

vou te divulgar. muita gente vai gostar de te ler.
posso?

R. Avancini disse...

É um prólogo de um ponto final.

Ká* disse...

Até quando!!??
Até um novo olhar, cegar o coração, numa esquina qualquer, numa hora qualquer, numa nova cafeteira qualquer...

Será que tudo é finito ou tá faltando café nesse mundo???

Fê Colcerniani Justo disse...

Adoro oq vc escreve.... Bem, a gente custa a adaptar as mudanças... mas eles acabam por nos consumir... verá.... Bjs

(marta selva) disse...

deixar de ser Plural é sempre confuso e doloroso.


;*

F.F.F. disse...

perfeito...

Leca disse...

Adorei flutuar até aqui e me deliciar com esse café...
beijo
Leca

Carla Lopes disse...

Não pensei que um cafezinho pudesse ser tão saboroso! Curti demais suas letras todas. Volte sempre no meu canto, virei aqui sempre que possível!
Beijão!!!

Mínimo Ajuste disse...

Num café pequeno a gente senta e pede café, café com leite, pão com manteiga e não quer ir embora. Quando vai, volta. Adorei o seu blog e o seu talento. Bípede Falante, do Mínimo Ajuste.
P.S. Se você quiser ser autor lá no blog, escreve para o minimoajuste@gmail.com que envio uma permissão. Seria uma honra te ter conosco.

Samieh Saleh disse...

Muito bom!O blog é muito interessante!

Samieh Saleh
salehsamieh.blogspot.com

Pequena Poetiza disse...

até quando o orgulho não lavar a cara
até quando ainda perdure a confusão de desamor

e se não mudar que ao menos adoce seu café e tire o amargo das palavras e sentimentos que ficaram em vocês.

beijos

Keila Costa disse...

Passo por aqui e sempre gosto!
Abraços